Os massacres dos aliados na Coreia do Sul

A humanidade deve pôr fim à guerra – ou a guerra porá fim à humanidade. – John F. Kennedy

Em poucas palavras

Durante a Guerra da Coréia, as tropas aliadas assassinaram mais de 100 mil civis e refugiados em uma campanha sustentada de abate que mais tarde foi encobertada.

Resumo da história

Em julho de 1950, a Guerra da Coréia estava em pleno andamento. O Norte foi demolindo as forças do sul e as tropas dos EUA estavam sendo derrotadas, em derrotas humilhantes. Os rumores estavam girando que as tropas comunistas foram rompendo e se disfarçado como refugiados, e paranóia sobre ataques da guerrilha estava em alta. Foi nessa atmosfera inflamada que várias centenas de civis numa manhã começaram a fugir dos combates.
Eles eram em sua maioria refugiados de Yongdong, uma cidade invadida recentemente pelo Norte comunista. Na esperança de escapar da perseguição, eles fugiram para a vizinha No Gun Ri Bridge, onde as tropas americanas apareceram. E, em seguida, os aviões vieram.
Bombardeiros metralharam as linhas de civis, as tropas abriram fogo com metralhadoras. Um GI recordou mais tarde ouvindo o seu capitão, dizendo: “para o inferno com essas pessoas. Vamos nos livrar de todos eles. “Mulheres e crianças foram destruídos , bombas incinerados usadas em quem tentasse fugir. As ordens foram dadas para disparar até que todo mundo estivesse morto.
Apesar de chocante, este não foi o único massacre dos Aliados da guerra. Em 2008, foi revelado que mais de 100 mil não-combatentes foram intencionalmente assassinado em uma campanha sustentada de terror. Aldeias inteiras com simpatias de esquerda foram presos e fuzilados, cavernas que abrigam refugiados foram usados napalm por aviões e bombardeiros, destruíram cidades inteiras perto da linha de frente, o medo dos norte-coreanos eram os seus parceiros do Sul  fosse contagiados pelo vírus do comunismo . Estes não eram erros, e muito menos eram acidentes, eles faziam parte de um plano deliberado para impedir o comunismo se espalhar, matavam todos que eles achavam que poderia espalha-lo.
Em 1951, a pacata vila de Sanseong-dong foi alvejado. Os sul-coreanos deixaram suas casas  e começaram acenar para os aviões norte-americanos, foi dada a ordem para disparar. Cinqüenta e um morreram no ataque, mais de 50% por cento da cidade foi bombardeada e ficou em ruínas. Lembrando-se do massacre mais tarde, o morador Ahn Hee-duk só poderia sussurrar: “Nunca houve qualquer norte-coreanos na aldeia.”
Foram alvos de assassinatos mais de 100.000 pessoas inocentes, nem os EUA nem a Coreia do Sul nunca se desculparam.

Só posso dizer que: Os homens cometem atrocidades na guerra. Guerra torna as pessoas normais em monstros.

Anúncios
Esse post foi publicado em Guerras. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s